Expresso das Ilhas

Switch to desktop Register Login

Substituição de importações: Governo preparado para chumbo no Parlamento

O governo propôs, no Orçamento do Estado para 2018, o aumento dos direitos de importação dos lacticínios e dos sumos de fruta. Cabe agora ao Parlamento aprovar ou não esta medida, mas governo já está preparado para que esta seja chumbada.

 

A proposta do governo prevê que os lacticínios, por exemplo, passem a pagar uma taxa de importação de 20% se a nova pauta de direitos de importação for aprovada. Já os sumos de fruta passariam a ser taxados a 35%.

A medida, apurou o Expresso das Ilhas, não está a ser bem recebida pela generalidade dos deputados que estão a considerar chumbar a proposta do governo. “Não faz sentido estar a proteger uma indústria que ainda não existe”, disse um deputado ao Expresso das Ilhas.

O governo, no entanto, está preparado para o chumbo mas ainda assim confiante de que a medida venha a ser aprovada.

“Qualquer proposta pode ser aprovada ou pode ser chumbada. Nós sabemos que não é uma proposta consensual”, disse o ministro das Finanças, Olavo Correia, hoje à saída da Comissão Especializada de Finanças onde debateu com os deputados o Orçamento de Estado antes de este ser discutido e aprovado na especialidade.

Para Olavo Correia, a decisão de se avançar para a substituição das importações é “uma decisão corajosa por parte do governo” que tem por objectivo proteger a indústria nacional e que vai ser “levada ao parlamento. O governo apresentará as suas justificações e os deputados apreciarão e, em função da bondade da proposta, ela pode ser aprovada ou não”.

O ministro das Finanças defendeu que Cabo Verde tem de ter uma estratégia para apoiar o sector privado nacional, “apoiar a indústria nacional, a criação de empregos e isso passa por medidas corajosas por parte do governo nos domínios do financiamento, da fiscalidade, dos transportes, da burocracia pública nacional e municipal para que o ecossistema possa ser eficiente”.

quinta, 07 dezembro 2017 11:47

2 Comentários

  • E 09-12-2017 Reportar

    Proteger o sector privado nacional de competições não é a solução nem aumentar os impostos de importação a meu ver quanto mais baixo for “direitos de importação” mais ajudaria o povo cabo-verdiano uma vez que diminuiria o custo da matéria-prima ou produto permitindo assim ser mais fácil o movimento de bens ou utilização dos mesmos em outros sectores como na agricultura.

    Gostaria que vocês citassem a vossa opinião e dessem o porque da mesma seja está igual ou completamente diferente, com criticas e debates com respeito é que fazemos hum Cabo Verde melhor

    Bom Natal e um feliz Ano novo

    “Senhor San Silvestre
    mandá-nos bem ali nesse casa”
    https://www.youtube.com/watch?v=xS0ANUP9kG0

  • Silvério Marques 07-12-2017 Reportar

    De dia entrega o pequeno comércio aos chineses e á noite diz que quer proteger o sector privado nacional. Neste aspecto dos chineses todos os partidos estão de acordo. A China sabe os gostos de cada partido e faz-lhes a vontade e em troca vão ocupando Cabo Verde. Com que interesses ?
    A China está nas tintas para com os pequenos comerciantes. Querem é ocupar o nosso território. Para nosso bem é que não é.

Deixe um comentário

Os campos com (*) são obrigatórios.

Expresso das Ilhas

Top Desktop version