Expresso das Ilhas

Switch to desktop Register Login

«Aumento dos direitos de importação sobre lacticínios e sumos de fruta depende do parlamento» - Olavo Correia

O ministro das Finanças disse hoje, na Cidade da Praia, que o aumento dos direitos de importação sobre lacticínios e sumos de fruta depende da sua aprovação no Parlamento.

 

Segundo Olavo Correia, trata-se de uma proposta que visa promover a indústria nacional.

“Foi uma proposta que foi apresentada pela Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Sotavento (CCISS), já analisamos e o Governo quer ajudar os empresários nacionais a serem mais competitivos de uma forma transitória”, esclarece.

Sobre os comentários à volta da proposta, o ministro considera que “é bom que haja um escrutínio público, que haja opiniões contrárias e divergentes” sobre a proposta antes da sua discussão.

“O Governo está neste momento a analisar a proposta e vai ser submetida ao Parlamento para discussão. No Parlamento discutiremos, em função daquilo que os deputados entenderem. A proposta poderá avançar ou não”, explica.

O ministro afirma ainda que o Governo quer criar um ecossistema para apoiar os empresários nacionais porque, sustentou, nenhum país desenvolvido ou que queira ser desenvolvido, conseguiu faze-lo apenas com o Investimento Directo Estrangeiro.

“É muito importante que consigamos cada vez mais o IDE, mas temos que também criar um quadro para apoiarmos, incentivarmos os nossos empresários, empreendedores e as nossas empresas”, sublinha.

 

quarta, 06 dezembro 2017 17:13

1 comentário

  • Maria Jose 07-12-2017 Reportar

    Até que enfim uma boa boticia. Sr. Ministro, nós temos que ir mais longe...temos que promover, incentivar a industria nacional porque andamos a importar de mais. Caso de sumo de frutas, compotas e doces (goiabadas, bananadas, marmeladas, papaiadas, geleias, cocadas, etc) temos condicoes de criar uma boa industria. Mas há muito mais. Temos que ter politica de... e trabalhar neste sentido. É claro que temos que estar muito atento aos precos, à qualidade e, também, aos custos dos factores. Excelente.

Deixe um comentário

Os campos com (*) são obrigatórios.

Expresso das Ilhas

Top Desktop version