Expresso das Ilhas

Switch to desktop Register Login

Presidência cabo-verdiana da CEDEAO será oportunidade para estabilidade - MNE Hungria

Péter Szijjártó, Luís Filipe Tavares e Maritza Rosabal Péter Szijjártó, Luís Filipe Tavares e Maritza Rosabal inforpress

O ministro do Comércio Externo e dos Negócios Estrangeiros da Hungria considerou hoje que uma futura presidência cabo-verdiana da Comunidade Económica de Estados da África Ocidental (CEDEAO) será "uma oportunidade" para a estabilidade no continente Africano.

 

"A nossa esperança é que, quanto antes, em todos os países africanos, possamos falar de estabilidade política e económica e, por isso, achamos que Cabo Verde é um exemplo para toda a África. Neste contexto, consideramos que a futura presidência de Cabo Verde na CEDEAO é uma oportunidade porque, na região, Cabo Verde significa estabilidade, garantia de estabilidade", disse Péter Szijjártó.

Péter Szijjártó falava hoje aos jornalistas, na cidade da Praia, quando instado a comentar a situação política no Zimbabué, onde se vive uma crise política de contornos ainda pouco claros e onde o Presidente está a ser pressionado a abandonar o poder, depois de ter sido detido por militares.

Sobre o mesmo assunto, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Filipe Tavares, disse acompanhar a "situação com interesse" e manifestou-se confiante de que "o povo do Zimbabué saberá encontrar as melhores soluções para os seus problemas políticos".

"Queremos que haja paz, tranquilidade, que o povo escolha livremente os seus dirigentes e que o problema actual seja resolvido num clima pacífico e sem derramamento de sangue", afirmou.

Disse ainda, quando questionado, "ver com normalidade" as mudanças que estão a acontecer em Angola, onde o novo presidente João Lourenço está a fazer várias substituições ao nível das principais empresas públicas, tendo afastado os filhos do anterior presidente.

Acrescentou que brevemente realizará uma visita a Angola.

Sobre a Guiné-Bissau, onde população e partidos se manifestam há dois dias contra o Governo, Luís Filipe Tavares afirmou o respeito de Cabo Verde "pelas democracias, pelos sistemas políticos e pelas instituições" de todos os países.

sexta, 17 novembro 2017 16:25

Deixe um comentário

Os campos com (*) são obrigatórios.

Expresso das Ilhas

Top Desktop version