Expresso das Ilhas

Switch to desktop Register Login

São Vicente não está bem e os problemas são antigos – MpD

Os deputados do MpD eleitos pelo círculo de São Vicente afirmam que a ilha não está bem e que os problemas que afectam o desenvolvimento local são antigos.

 

A posição do grupo foi apresentada por João Gomes que falava hoje à imprensa para fazer o balanço da visita realizada à ilha, de 10 a 14 de Julho, no âmbito da preparação do debate sobre o estado da Nação, agendado para o final deste mês.

“Sabemos que São Vicente já não estava bem quando estávamos em campanha que éramos oposição e que nós levantávamos as mesmas questões. Agora, queremos dizer à população de São Vicente que tenha confiança, que a ilha faz parte da preocupação deste governo e do grupo parlamentar que o suporta”.

Segundo João Gomes, a criação de empregos é o factor chave para resolução dos problemas da ilha e aponta as acções do governo neste sentido.

“Uma vez debelado o desemprego em São Vicente os males que possam existir de certeza absoluta que serão amenizados. Queremos dizer que há um conjunto de programas apresentados já pelo nosso primeiro-ministro e nós estamos convictos que esses programas vão realmente surtir efeito na criação de empregos”.

Quanto às críticas dos partidos da oposição sobre aquilo que classificam de “estagnação económica” da ilha, João Gome lembra que o PAICV foi governo durante 15 anos e que ao invés de soluções criou problemas. 

 


Dossiê da regionalização “não está na gaveta”

A questão da regionalização do país, foi outro tema abordado pelo deputado nacional, eleito pelo MpD. Questionado pelos jornalistas sobre se o dossier está na gaveta, João Gomes disse que o governo está a fazer as diligências necessárias para avançar com a regionalização do país e que que, neste momento, aguarda-se a criação da comissão paritária dedicada ao dossier. O projecto de lei de regionalização já está a ser trabalhado e à procura de consensos, explica.

“Não faz sentido o MpD aprovar uma proposta de lei de regionalização, leva-lo à assembleia para ser chumbada, porque se for chumbada, agora sim, a regionalização vai para as calendas".

Questionado sobre se o governo pondera outras formas de reforma do território, João Gomes sublinha que "neste momento para o governo e para o partido que o sustenta o foco é a regionalização".

sexta, 14 julho 2017 16:09

2 Comentários

  • Nuno Ventura 16-07-2017 Reportar

    Na minha opinião a manifestação foi contra a incapacidade de todos os partidos em apresentarem soluções concretas para os problemas concretos existentes e acima de tudo porque as pessoas não se sentem ouvidas pelos deputados nacionais e municipais de S. Vicente. #### S Vicente depositou muita esperança no MpD e o imobilismo somado ao não diálogo com as populações demonstrado até agora, permitiu que um grupo sem ideias e com tendências anarquizantes mobilizasse uma enorme fatia dos cidadãos para uma manifestação a que todos os políticos devem prestar atenção. Achei curioso a demonstração da fragilidade dos partidos, que todos se tenham visto obrigados a receber do autointitulado Provedor do Mindelo, que não representa ninguém, um caderno reivindicativo contendo temas que, na minha opinião, os partidos deviam ser os primeiros a apresentar, com propostas de soluções.

  • Minidisoncent 14-07-2017 Reportar

    Sim, mas o que motivou a Mega MANIFESTAÇÃO é a incapacidade do atual Governo do MpD em dar sinais de que os ditos problemas antigos possam estar com soluções à vista. Portanto, A MANIFESTAÇÃO FOI CONTRA O GOVERNO DO MPD E NÃO CONTRA O QUE JÁ NÃO EXISTE. OK!

Deixe um comentário

Os campos com (*) são obrigatórios.

Expresso das Ilhas

Top Desktop version