Expresso das Ilhas

Switch to desktop Register Login

CEDEAO quer embaixador permanente de Cabo Verde

O presidente da Comissão da CEDEAO, Marcel Alain de Souza, solicitou esta quarta-feira ao Governo cabo-verdiano a designação de um embaixador permanente do arquipélago junto da comunidade, uma nomeação que o executivo garante estar no seu programa.

 

"Cabo Verde é o único país da região que não tem um representante permanente e essa nomeação vai ajudar no reforço das relações com os outros países da região e, por conseguinte, vai ganhar mais visibilidade na comunidade e no continente", afirmou Marcel Alain de Souza.

O presidente da Comissão da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) fez esta declaração ontem, na cidade da Praia, após um encontro com o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, no quadro de uma visita que esta a efectuar ao país.

Segundo o comissário, com a nomeação de um representante permanente em Abuja (Nigéria), sede da CEDEAO, Cabo Verde vai poder participar frequentemente em todas as reuniões da comunidade e tratar das relações diplomáticas, ganhando visibilidade junto da organização.

O primeiro-ministro garantiu que a nomeação de um embaixador permanente junto da CEDEAO está no programa governamental e considerou que vai permitir ao país estar "mais perto" da sede das decisões importantes da comunidade.

"Está no nosso programa não só nomear uma representação diplomática em Abuja, porque assim estaremos perto da sede das decisões, como criar as condições para que haja uma representação da CEDEAO em Cabo Verde", perspectivou Ulisses Correia e Silva, citado pela Inforpress.

Para o chefe do Governo, com um embaixador na CEDEAO, Cabo Verde vai estar em melhores condições de aproveitar as oportunidades que a comunidade oferece e defender as suas especificidades dentro da região africana, uma vez que é o único país arquipelágico do grupo.

quinta, 16 fevereiro 2017 08:33

1 comentário

  • Augusto Galina 16-02-2017 Reportar

    Incrivel !!!
    Estão vivendo precariamente, não conseguem resolver problemas menores e querem uma Embaixada em Cabo Verde. Para quê? Bando de irresponsàveis.

Deixe um comentário

Os campos com (*) são obrigatórios.

Expresso das Ilhas

Top Desktop version