Expresso das Ilhas

Switch to desktop Register Login

Opinião

Com alívio, júbilo e desencanto, sequencialmente, por parte do eleitorado, vencedor e vencidos, ficou concluída a cíclica via-sacra da consagração da nossa democracia representativa, em todos os níveis do poder (presidencial, legislativo e autárquico). O cidadão-eleitor deu o seu voto (de confiança) ao Movimento Para Democracia (MPD) no dia 20 de Março de 2016 e confirmou, sucessivamente, a sua fidelidade eleitoral às orientações deste partido. Em consequência, hoje existe uma configuração do poder (não confundir com o fantasma do “poder único”) que, embora não seja nova, constitui um nó de reflexão ao qual se presta este artigo e se devem…
quinta, 27 outubro 2016 06:00
0
O Estado ao prosseguir os seus fins tem, naturalmente, necessidades económicas cuja satisfação implica despesas – despesas públicas. Por isso, o Estado e as entidades publicas desenvolvem uma atividade tendente, por um lado, a obtenção dos meios económicos susceptíveis de assegurar a satisfação das necessidades publicas, por outro, ao correto afetação dos meios obtidos. As receitas públicas podem classificar-se, sob o ponto de vista jurídico, em receitas voluntárias e receitas coercivas. Nas receitas voluntárias ou de direito privado, o preço é estabelecido por via negocial ou contratual, em que o Estado intervém em pé de igualdade com qualquer outro particular…
quarta, 26 outubro 2016 06:00
5
2016 é o ano do octogésimo aniversário da revista Claridade. As comemorações do Dia Nacional da Cultura neste ano certamente que tiveram essa efeméride em devida atenção. O que se iniciou em 1936 não foi simplesmente a publicação de uma revista ou aparecimento de uma corrente literária. Foi o início de algo muito mais abrangente, profundo e fundamental que de há muito se reconhece como o Movimento Claridoso. Não é por acaso que passou pelo teste do tempo e que as obras dos seus fundadores nos vários domínios sejam ainda as grandes referências literárias do país. Se alguma dúvida houvesse…
quinta, 27 outubro 2016 08:00
0
Primeiramente parabenizar o Dr. Jorge Carlos Fonseca pela contundente vitória que, como tenho dito, resulta da excelência do trabalho levado a cabo durante o primeiro mandato. Ganhar uma eleição presidencial em Cabo Verde, na primeira volta, com mais de 70 porcento dos votos é, como disse o presidente eleito, histórico: o trabalho de ontem, neste caso do mandato, é a razão da vitória de hoje. Como se disse, um bocado por toda a parte, Jorge Carlos Fonseca tinha como principal adversário a abstenção e a sua direcção de campanha teve como foco, mais do que convencer as pessoas do porquê…
quarta, 19 outubro 2016 06:00
0
“Ser feliz é a maior coragem. Todo o mundo é capaz de ser infeliz; para ser feliz é preciso coragem  é um risco tremendo”. Osho, filósofo indiano. A legitimidade soberana Na democracia o povo é soberano e as eleições livres são um dos pilares fundamentais na consolidação de qualquer democracia. Representam as opções livres das pessoas. Nesta matéria Cabo Verde está a construir uma das estradas mais emblemática dos PALOP, que brevemente pode servir de modelo. No dia 20 de Março, o povo atribui a UCS & ao MPD uma maioria absoluta nas eleições legislativas. A 4 de Setembro, as…
terça, 18 outubro 2016 06:00
0
A notícia dos 120 homicídios num ano trazida a público pelo Procurador Geral da República em Setembro último finalmente despertou a sociedade cabo-verdiana para os excessos de violência que ocorrem no país. A informação veio confirmar o sentimento generalizado de insegurança que se renova no dia-a-dia com os relatos de assaltos à mão armada, troca de tiros entre elementos de gangs e ajustes de contas que se saldam em mortes em vários pontos da capital. Piora a situação a percepção de que cada vez mais também a Polícia vem-se tornando o alvo de ataques. Neste panorama preocupante é notório o…
quarta, 19 outubro 2016 08:00
0
Este ano de 2016 foi fértil em eleições e mudanças políticas, mas está a ser um ano de choque para todos nós. É o fim de uma época de ilusões, de se pensar que tínhamos um país que vivia blindado das crises, de muitas promessas que afinal não passavam de puras fantasias vendidas com propósitos eleitoralistas. De repente, o país acordou com más notícias que até então não tinha querido ouvir: •    A TACV, companhia de bandeira e símbolo nacional, está mais do que falida; •    O IFH e o seu programa de bandeira “Casa para Todos” precisam com urgência…
quarta, 12 outubro 2016 06:00
2
Jorge Carlos Fonseca ganhou as eleições presidenciais de 2 de Outubro com 74% dos votos validamente expressos tendo os outros candidatos Albertino Graça e Joaquim Monteiro recebido respectivamente 22,5% e 3,2% dos votos. A abstenção que acabou por atingir o seu maior valor de sempre com 63,4% dos eleitores não deixou de tirar algum lustre à vitória. Com base nesses números de abstenção, opiniões diversas procuraram questionar a legitimidade da eleição, a validade do sistema político e a representatividade do voto. Assumem que a abstenção sinaliza insatisfação dos eleitores com a política, com os políticos e com os partidos e…
quinta, 13 outubro 2016 08:00
0
  Surgida em Março de 1936 na cidade do Mindelo, a Claridade – revista de artes e letras completou os oitenta anos. É propósito deste jornal assinalar esse facto, enquanto marco de uma viragem na literatura cabo-verdiana, e homenagear o seu núcleo fundador e dinamizador constituído por Baltasar Lopes (São Nicolau, 1907 – 1989), Jorge Barbosa (Santiago, 1902 – 1971), Manuel Lopes (São Vicente, 1907 – 2005) e João Lopes (São Nicolau, 1894 – 1979). No aspecto formal, a Claridade significou o rompimento com as formas clássicas quanto à rima, métrica e géneros literários, ao mesmo tempo que foi uma…
terça, 11 outubro 2016 06:00
0
Estas palavras iniciais (minhas) vieram docemente com o vento, trazidas como uma “cancion del camino viejo”:  «Toda e qualquer obra de arte tem a intenção (anseio / fim /destino…) de nos desafiar, nos tocar, nos revolver, nos envolver, (re)mexer (n)as nossas estranhas - confrontando-nos con(n)osco mesmos! E se ela não é capaz de fazer isso, mesmo que se escude na magnânima natureza de ser “arte pela arte” (somente), confesso - falta(rá) algo no seu âmago! Toda a obra é comunicação (“tornar comum”) e só se completa nessa relação - eu/mim - outro(s) - emo(gina)ção!» Toda a obra produzida, lida, apresentada,…
quinta, 13 outubro 2016 06:00
0
Com o anúncio público, mais uma vez, de que em breve a Cidade da Praia, capital da República de Cabo Verde, vai ter o seu estatuto administrativo especial, feito pelo presidente Ulisses Correia e Silva, em Vila Nova, no dia 20 de Agosto p.p., desta vez, com o prenúncio de garantia da sua aprovação na Assembleia Nacional, uma coisa julgo certa: “à terceira é de vez”!   1. O imperativo constitucional O “pluriconsenso” sobre o Estatuto Administrativo Especial para a Cidade da Praia resulta do imperativo constitucional e da necessidade absoluta e urgente em dotar a Capital da Republica de…
terça, 04 outubro 2016 06:00
2
A 4 de Março de 2015 o FMI publicou um comunicado da sua missão anual a Cabo Verde ao abrigo do artigo IV. No comunicado ficou-se a saber que o Conselho de do FMI deveria em fins de Maio rever os resultados da consulta feita e dar a conhecer a sua posição final sobre a situação do país. Aparentemente a reunião do CA do FMI nunca aconteceu e até agora, como se pode constatar no site do FMI, nada foi publicada sobre os resultados da consulta ao abrigo do artigo IV referente a 2015. A impressão que se reteve em…
quarta, 05 outubro 2016 07:00
0
José Luiz Tavares? Esse «pobre cesário negro que doura a voz/ com a tinta das antigas arcádias», como ele se auto-descreve, no primeiro poema deste Lisbon Blues? É um dos melhores poetas cabo-verdianos de sempre, sendo uma referência no actual trânsito poético luso-cabo-verdiano, como de resto demonstra este seu livro de homenagem à cidade em que vive (- e será que se repara devidamente que sobrevém dos naturais desse arquipélago a mais estimulante poesia que hoje se produz nos países africanos de língua portuguesa, a um nível só comparável ao que ocorreu em Moçambique nos anos setenta? -). Quando José…
quarta, 05 outubro 2016 06:00
0
Era uma vez um país onde os cidadãos podiam ser torturados impunemente e presos, durante meses a fio, sem culpa formada; onde o confisco de terras era permitido e o “partido força, luz e guia”, dirigido por “heróis” nacionais, atormentava os cidadãos por causa das suas opiniões políticas ou mesmo por um “boato” qualquer que os esbirros do sistema detectassem na esquina mais próxima; onde os simples funcionários públicos tinham que prestar “juramento de fidelidade” aos donos do poder; onde, enfim, a saída do território nacional dependia da vontade decisiva da omnipresente polícia política.O cidadão era manietado, diminuído constantemente na…
domingo, 25 setembro 2016 06:00
0
A capa da revista The Economist do passado dia 10 de Setembro tem o desenho de um rosto humano de perfil todo pintado de preto e com uma língua vermelha e comprida a sair-lhe da boca. Até aqui tudo normal, não fosse essa língua bifurcada como a das serpentes e o título de capa desta conceituada revista tão bombástico: “Art of the lie; post-truth politics in the age of social media”, o que significa, mais ou menos, “A arte da mentira; o pós-verdade da política na era das redes sociais”. No interior da revista, um artigo de 16 páginas dedicado…
segunda, 26 setembro 2016 06:00
4
A suspensão de mandato do presidente da república a partir do momento do anúncio público da sua recandidatura para o cargo continua a criar desconforto por variadas razões. Aconteceu recentemente nas exéquias de Estado do Dr. António Mascarenhas Monteiro, o primeiro presidente da II República, em que o Dr. Jorge Carlos Fonseca, o actual presidente da república, só pôde intervir na qualidade de amigo e por expressa vontade do ilustre falecido. Assim foi porque está suspenso das suas funções por razões eleitorais. Em consequência na cerimónia estavam presentes o presidente da república interino e o actual presidente, o presidente da…
segunda, 26 setembro 2016 07:00
0
Após tomar conhecimento dos resultados, confesso, bastante surpreendentes, saídos das eleições autárquicas de 4 de Setembro de 2016, o país está quase em estado de choque. Estranhamente, e muito felizmente, não existe um clima de euforia acentuada por parte das gentes afetas ao MPD em resultado de tamanha vitória (sim 18 camaras e 19 assembleias é uma vitória de dimensão quase impensável). Por outro lado não existe, para já, resposta por parte das gentes afetas ao PAICV para tão imponente derrota. De entre os mais “doutos opinadores”, que se apresentaram na TCV no dia de domingo, percebeu-se que não havia…
quarta, 21 setembro 2016 06:00
0

Expresso das Ilhas

Top Desktop version