Expresso das Ilhas

Switch to desktop Register Login

Expresso das Ilhas - Actualidades
quinta, 22 junho 2017 16:49 Publicado em Cultura

O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, lamentou o falecimento da artista plástica Luisa Queirós  na manhã de hoje: “Cabo Verde acaba de perder uma das suas figuras mais relevantes na cultura/artes plásticas”.

quinta, 22 junho 2017 15:48 Publicado em Cultura

Com grande tristeza e consternação. É assim que o professor, Manuel Brito Semedo, reage à morte, hoje, de Luísa Queirós.

quinta, 22 junho 2017 13:56 Publicado em Cultura

Luísa Queirós, artista plástica, fundadora da Cooperativa Resistência e impulsionadora do Centro Nacional de Artesanato morreu hoje no Mindelo.

quinta, 22 junho 2017 12:55 Publicado em Cultura

Á semelhança do que já se tinha realizado em anos anteriores a comunidade artística cabo-verdiana em Lisboa irá assinalar o aniversário da independência fazendo ouvir morna. A Serenata no Intendente pretende levar um pouco de Cabo Verde às ruas de Lisboa.

quinta, 22 junho 2017 12:38 Publicado em Cultura

O músico boavistense, Ary Morais, residente na Noruega há mais de 20 anos, actua no próximo dia 3 de Julho, nas Festas do Município e Santa Isabel pela primeira vez, na ilha que o viu nascer.      

quinta, 22 junho 2017 12:05 Publicado em Política

O líder da bancada do PAICV na Assembleia Municipal de São Miguel, Alcides Tavares, denunciou, hoje, 21 de Junho, aquilo que considerou ser “graves atropelos e violação da lei no recrutamento de funcionários na Câmara Municipal de São Miguel (CMSM)”.

quinta, 22 junho 2017 11:06 Publicado em Política

Vladimir Silves Ferreira, líder da bancada do PAICV no município da Praia, defendeu ontem, 22 de Junho, a necessidade de um estudo para mapear todos os pontos críticos a nível da construção urbana na Cidade da Praia, informou a Inforpress.

quinta, 22 junho 2017 09:33 Publicado em Política

O Governo assinou esta quarta-feira, na Cidade da Praia, protocolos com quatro bancos comerciais visando a disponibilização do montante de 575 mil contos para a promoção do empresariado jovem em Cabo Verde.

quinta, 22 junho 2017 08:48 Publicado em Desporto

O futebolista internacional cabo-verdiano, Tiago Almeida, que na última época representou Moreirense de Portugal, vai representar o CSMS Iasi, equipa da primeira liga romena.

quinta, 22 junho 2017 08:28 Publicado em Mundo

Um estudo da ONU revela que a população global actual é de 7,6 mil milhões de habitantes e deve subir para 8,6 mil milhões em 2030.

O relatório Perspectivas da População Mundial: Revisão de 2017, foi lançado nesta quarta-feira pelo Departamento dos Assuntos Económicos e Sociais das Nações Unidas, Desa.

quinta, 22 junho 2017 08:20 Publicado em Mundo

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud, tem apoiado a reforma no sector da administração pública do governo da Guiné-Bissau para reforçar as capacidades das instituições.

O representante interino da agência no país, Gabriel Dava, realçou a complexidade da reforma administrativa num momento de cíclicas crises políticas que não permitiram nenhum governo sobreviver uma legislatura.

"A reforma do sector da administração pública é uma das áreas mais complexas, não é fácil, especialmente num contexto em que temos as instituições públicas a não funcionarem eficientemente devido as crises que todos conhecemos. A instabilidade institucional torna muito mais complexa fazer as reformas necessárias".

O representante destacou que o desenvolvimento é um processo difícil com tais desafios. Segundo ele, o papel das Nações Unidas é justamente apoiar países em situação de dificuldade como a Guiné-Bissau para garantir uma vida melhor as populações mais vulneráveis.

Gabriel Dava falou da parceria com o Ministério da Função Pública e da Administração Territorial e destacou o recenseamento dos servidores do Estado. O processo recentemente apoiado pelo Pnud ajudou a preparar melhor as folhas de salário e a controlar as despesas.

"Os custos dos funcionários são extremamente altos e para sermos eficientes temos que conhecer quem são estes funcionários e onde estão. Estamos a trabalhar com o Ministério da Função Pública naquilo que é a restauração dos órgãos que vão coordenar o processo da reforma, estamos a reactivar o Conselho Nacional de Monitoria da Reforma".

Para o responsável, o processo vai ajudar a implementar planos e estratégias que já existem, faltando apenas os mecanismos necessários para a sua implementação.

 

quinta, 22 junho 2017 06:00 Publicado em Opinião

Henrique Teixeira de Sousa é um dos poucos escritores caboverdianos a introduzir um olhar clínico sobre as relações socioétnicas na ficção. Acaba de ser reeditada, pela Academia Caboverdiana de Letras, a sua colectânea Contra Mar e Vento, que inclui o conto “Encontro”, o mais acabado exemplo da abordagem ficcional que ele fez ao problema em questão.

No referido conto, o nosso escritor Henrique Teixeira de Sousa pôs a tónica nos conflitos sociais, por meio da narração de uma cena de pancadaria em São Filipe, na ilha do Fogo, provocada pela tentativa de namoro entre um rapaz que não era de «tez clara» e uma moça que «veio de Lisboa».

Nesta narrativa, destaca-se o pendor emblemático da expressão do primo da moça, que se opunha à possibilidade de namoro entre os protagonistas do conto, para impedir que fosse implantada nesta terra «a lei de feijão-mistura», isto é, o amor entre um «mulato» e uma «branca». Aliás, tal conflito em praça pública em São Filipe entre o primo e o pretendente, cada um dos quais com os seus respectivos aliados, simbolizava a peleja de «Abel contra Caim». O que significa que não era questão de pouca monta.

A ênfase nos problemas sociais desta natureza mereceu também uma atenção do escritor em termos sociológicos. No contexto daquela época, tendo como principais causas a seca e crise agrícola nacional dos anos vinte e a crise económica mundial do pós-1929, o arquipélago de Cabo Verde enfrentava uma profunda alteração da estrutura social. Assistia-se ao colapso da velha estrutura social que remontava à época escravocrata e que era simbolizada pelo mundo dos sobrados que dominava o meio caboverdiano, principalmente nas ilhas agrícolas de Santo Antão, São Nicolau, Santiago, Fogo e Brava.

Entre essas ilhas agrícolas, a ilha do Fogo era a que parecia apresentar uma estrutura social mais rigidamente hierarquizada, cujas relações entre classes eram mais formais, pelo que as famílias resistiam com maior veemência às vagas de mudança social.

Não obstante, a crise económica provocara o desaparecimento do modo de vida senhorial da velha elite branca, que preferia emigrar para o centro do império, para as outras antigas colónias africanas ou para o Brasil, tanto por não suportar a perda do seu antigo estatuto social, quanto por não suportar a convivência com os mulatos em ascensão progressiva. Desse modo, os brancos dos sobrados foram sendo substituídos pelos mulatos das lojas (isto é, os comerciantes), o que se traduziu numa profunda alteração da paisagem étnica.

Numa tentativa de abordar a categorização social, o médico e escritor Henrique Teixeira de Sousa, no artigo intitulado “A Estrutura Social da Ilha do Fogo em 1940”, apresentava uma explicação sociológica que não só remetia para as origens raciais das desigualdades sociais, como também retomava uma determinada classificação da pirâmide da estrutura colonial.

Nessa época, a tipificação de classe conformava-se com o tópico da cor, embora ilustrando a complexidade e a recomposição permanente do tecido económico e social, destacando um empobrecimento de pessoas da etnia branca, paralelamente a uma progressiva ascensão social de negros e mulatos, num processo de transformação da estrutura social que, na perspectiva sociológica de Gabriel Mariano, decorria do «funco» para o «sobrado».

Assim, a cor de classe verificava-se nitidamente em todas as referências do escritor foguense. Num outro artigo da época, intitulado “Sobrados, Lojas e Funcos”, Henrique Teixeira de Sousa retomava a discussão sobre as categorias socioétnicas na sua ilha natal.

Em 1992, no livro de entrevistas Cabo Verde: Encontro com Escritores, Henrique Teixeira de Sousa tentou justificar a sua opção pela abordagem literária da cor da pele das personagens e dos conflitos derivados dessas diferenças. Recorde-se que, em contrapartida, na esteira de alguns escritores claridosos, o ensaísta português Manuel Ferreira defendia a ausência de conflitos decorrentes das diferenças de cor em Cabo Verde.

Ciente dessas duas perspectivas antagónicas, Henrique Teixeira de Sousa tentou justificar a sua própria posição: «Conheci esse racismo na minha ilha. A aristocracia branca do sobrado, descendente de antigos donos de escravos, mantinha a mesma atitude senhorial em relação ao negro e ao mulato [...]. Ora, Manuel Ferreira conheceu e viveu uma realidade social muito diferente. Este escritor permaneceu alguns anos em S. Vicente, nos anos 40, ilha onde os privilégios de classe já não coincidiam com a cor da pele [...]. [Note-se porém que] o perfil da sociedade da capital [de Cabo Verde] era idêntico ao da sociedade de S. Filipe.»

Realce-se também que, na época colonial, se os significados rácicos se transmutavam em diferenças sociais, tal era sinal de que a dimensão racial tinha efeitos na estrutura da mentalidade. Constata-se a persistência de preconceitos rácicos, embora subvertida pela transmutação semântica dos termos de classificação.

Pode, por isso, concluir-se, sem grandes hesitações, que o conceito de raça não tinha ainda sido alvo de uma total erosão susceptível de o suprimir do imaginário individual e colectivo. Seria importante, ainda nos dias de hoje, indagar sobre as reconfigurações de processos sociais antigos e de preconceitos rácicos, tanto no arquipélago como na sua diáspora...  

 

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 811 de 14 de Junho de 2017.

quinta, 22 junho 2017 06:00 Publicado em Cultura

No dia 13 de Junho de 1917 – fez ontem 100 anos – foi criado um liceu em Cabo Verde.

“Em nome da Nação, o Congresso da Republica decreta:

Artigo 1° São extintas na Província de Cabo Verde as escolas praticas de aprendizagem, criadas pelo decreto de 18 de Janeiro de 1900, exceptuando a escola profissional da arte marítima e de pesca. É também extinta a oficina em S. Vicente, criada pelo decreto de 19 de Junho de 1900; e fica igualmente extinto o seminário que funciona na ilha de S. Nicolau.

Artigo 2.° Em substituição das escolas, da oficina e do seminário mencionados no artigo anterior, é criado um liceu segundo as disposições da presente lei.

§ 1° Este liceu funcionará, provisóriameute no edifício do seminário extinto, aproveitando-se o respectivo material escolar. No mesmo edifício, funcionarão as aulas do curso profissional, consignadas nesta lei.

Artigo 3.° O ensino deste liceu divide-se em dois cursos: geral e profissional.

§ 1° O curso geral é idêntico ao curso geral dos liceus, 1.ª secção, completado pelo ensino de trabalhos manuais como se vê do seguinte quadro:

 

§ 2° O curso profissional dura dois anos e compreende as disciplinas constantes do seguinte quadro de distribuição semanal:

 

Artigo 4.° O ensino neste liceu será ministrado por seis professores e dois mestres de oficina, escolhidos em concurso documental, realizado no Ministério das Colónias.

[Lei n.º 701, de 13 de junho de 1917. Boletim Oficial do Governo da Província de Cabo Verde, n.º 27, de 7 de julho de 1917]


A notícia da criação do Liceu foi publicada no jornal A Voz de Cabo Verde, de 2 de Julho de 1917:

 

“A seis anos da sua existência, a república concede a Cabo Verde um instituto de educação laica, livre do espírito religioso, em todos os tempos, caracterisadamente convenientista e despótico.

(…) Na sua estrutura geral, satisfaz-nos o diploma da criação do liceu, como deverá satisfazer a toda a província que pouco mais que nada possuía. Imperfeições é natural que as haja, mas que são susceptíveis de, com a prática, se olhar a elas, reformando-as, e às quais nos iremos referindo, interessando-nos para que sejam modificadas, conforme o consenso geral.

Determina-se, por exemplo, que, provisoriamente, funcione o liceu no edifício do extinto seminário, isto é, em S. Nicolau, isto é, em Sam Nicolau, certamente para que seja aproveitado o edifício e o material escolar.

(…) O que está, porém, indicado é que o liceu deve funcionar nesta ilha[1], de maior população e recursos. É este o nosso parecer que dificilmente poderá ser contrariado, sem paixão ou sem se pôrem em jogo interesses meramente pessoais”.

 

Quarenta dias após a data da criação do Liceu de Cabo Verde “é sustada superiormente a sua vulgarização”:

“O órgão oficial da colónia, do penúltimo sábado, publica um aviso do qual consta que o sr. Ministro das Colónias mandou sustar, até ulterior resolução, as disposições do decreto que criou o liceu.

(…) Não sabemos se o governo da colónia tem elementos para que esse aviso fosse mais explícito, arredando assim do ânimo do público, a ideia que tomou já para alguns, vulto da realidade, de que influências se moveram para a continuação do status quo do Seminário, pondo-se de parte a criação de um liceu – instituto de educação.

[A Voz de Cabo Verde, de 23 de julho de 1917]

A ação parlamentar do Senador Augusto Vera Cruz foi decisiva para que o Liceu se viesse a instalar na cidade de Mindelo, tendo cedido a sua própria casa, um palacete no centro da cidade.

Segundo o Plano Orgânico da Instrução Pública na província de Cabo Verde, de 30 de outubro de 1917 “O ensino secundário é ministrado no Liceu Nacional com sede em S. Vicente”.  

Assim aconteceu!   

 

NB: nas transcrições dos documentos manteve-se a grafia original.

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 811 de 14 de Junho de 2017.

 



[1] Refere-se à ilha de Santiago, pois o jornal era composto, impresso e editado na cidade da Praia.

 

quarta, 21 junho 2017 16:23 Publicado em Mundo

O Ministro do Interior angolano considerou hoje que pensar que Angola está imune a uma acção terrorista "é um acto de inocência absoluta", aludindo às novas formas de actuação, como os atropelamentos e ataques mais direccionados.

quarta, 21 junho 2017 15:03 Publicado em Política

Cabo Verde vai negociar a introdução de três novos pilares no acordo de parceria que assinou há uma década com a União Europeia, indicou hoje na Assembleia da República o chefe da diplomacia daquele país, Luís Filipe Tavares.

quarta, 21 junho 2017 14:37 Publicado em Sociedade

O projecto de empreendedorismo social pró-empoderamento feminino Womenise.It prepara para o último trimestre deste ano a sua primeira summit internacional.

quarta, 21 junho 2017 13:57 Publicado em Mundo

O presidente da câmara de Bria, no centro da República Centro Africana, disse hoje que pelo menos 100 pessoas morreram esta terça-feira em combates na cidade, apesar do acordo de paz assinado segunda-feira em Roma.

quarta, 21 junho 2017 12:27 Publicado em Política

Com bandeira portuguesa a meia haste, a cumprir o último dos três dias de luto decretado pelo governo de Portugal, o executivo de Cabo Verde apresentou, nesta manhã, 21 de Junho, condolências ao Governo de Portugal, na sua embaixada, cidade da Praia.

quarta, 21 junho 2017 09:16 Publicado em Mundo

A segurança e as migrações dominam o Conselho Europeu de quinta e sexta-feira em Bruxelas, no qual os líderes da UE irão também adoptar os critérios para a escolha das cidades que acolherão as agências actualmente com sede em Londres.

quarta, 21 junho 2017 06:00 Publicado em Eitec

Método foi testado em ratos e macacos e, até ao final do ano, deverão começar os primeiros ensaios em pessoas.

Um novo tratamento para o cancro do pâncreas, que potencialmente pode dar aos doentes mais tempo de vida e ser uma alternativa para a quimioterapia, está a ser desenvolvido por uma equipa internacional onde participam investigadores do Porto, avançou a Lusa esta segunda-feira.

Neste trabalho, a equipa demonstrou a possibilidade de utilizar exossomas — nanovesículas produzidas por todas as células humanas — como um veículo para entregar no pâncreas uma terapia que inibe a proteína KRAS, “sempre activada” em doentes com este tipo de cancro, disse à Lusa a investigadora Sónia Melo, do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (i3S).

Devido à falta de sintomas, quando descoberto, “a esperança média de vida dos pacientes é de seis meses”, mas isso acontece “única e exclusivamente” porque o diagnóstico é tardio, enquanto na maior parte dos outros cancros existem sintomas ou exposições externas que os denuncia e leva a um diagnóstico mais precoce, explicou.

Contudo, quando detectado cedo, “é um tipo de cancro muito fácil de curar”, visto tratar-se de um órgão “fácil de remover”, havendo ainda a possibilidade de ser realizada uma laparoscopia (um tipo de cirurgia não invasiva) para retirar a parte afectada do órgão, indicou Sónia Melo.

 

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 811 de 14 de Junho de 2017.

 

quarta, 21 junho 2017 00:53 Publicado em Sociedade

O primeiro hospital privado de Cabo Verde vai nascer "à sombra" do empreendimento turístico da Gamboa num investimento previsto de 27 milhões de euros e por iniciativa de um médico português e outro cabo-verdiano a trabalhar em Portugal.

quarta, 21 junho 2017 00:40 Publicado em Política

O Sindicato Nacional dos Professores (SINDEP) considerou, hoje, que o Governo pretende retirar ganhos consagrados no actual estatuto da classe. A posição surge após um encontro, na passada sexta-feira, entre o sindicato e o Ministério da Educação, que terá informado da sua intenção em alterar o actual Estatuto da Carreira do Pessoal Docente, no decurso do ano de 2018.

quarta, 21 junho 2017 00:08 Publicado em Política

Uma equipa técnica do Fundo Monetário Internacional (FMI) iniciou terça-feira, na cidade da Praia, os primeiros contactos da missão anual de avaliação a Cabo Verde, no quadro do artigo IV, segundo informação divulga pelo Governo.

quarta, 21 junho 2017 00:07 Publicado em Sociedade

A obra, que tem como título completo "Mestiçagem Jurídica? O Estado e a Participação Local na Justiça em Cabo Verde. Uma Análise Pós-colonial" será lançada numa Conferência de Apresentação a decorrer hoje (21), pelas 18h no Centro Cultural Português. O livro é fruto de uma parte da tese de Doutoramento de Odair Barros Varela, que em 2013 venceu o prémio Fernão Mendes Pinto da Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP).

quarta, 21 junho 2017 00:07 Publicado em Política

O primeiro-ministro disse terça-feira que, dentro de três anos, Cabo Verde terá um campus universitário ao nível de países mais desenvolvidos, agradecendo à China pelo apoio a um investimento estimado em 45 milhões de euros.

terça, 20 junho 2017 16:08 Publicado em Mundo

O veterano da luta armada da Guiné-Bissau 'Manecas' dos Santos saiu em liberdade depois de ouvido pelo Ministério Público. 'Manecas' foi detido segunda-feira de manhã pela Polícia Judiciária.

terça, 20 junho 2017 15:58 Publicado em Cultura

A Livraria Pedro Cardoso lança em simultâneo esta quarta-feira, na cidade da Praia, a edição fac-simíle das obras “Ambiente” e “Caderno de um Ilhéu” do poeta Jorge Barbosa.

 

terça, 20 junho 2017 15:45 Publicado em Política

O presidente do parlamento, Jorge Santos, assinou hoje, na cidade da Praia, o livro de condolências pelas vítimas dos incêndios em Portugal, considerando que é nos "momentos de aflição" que é preciso "fazer sentir a solidariedade".

terça, 20 junho 2017 13:15 Publicado em Cultura

Alberto Koenig e Ricky Boy fazem parte do terceiro dos seis duetos improváveis da III edição da gala Somos Cabo Verde.  

terça, 20 junho 2017 13:11 Publicado em Política

Existe um vazio em relação à política para a juventude em São Vicente. A percepção é da direcção regional da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) que acusou, hoje, o presidente da Câmara Municipal, Augusto Neves e sua equipa, de estar “num sono profundo e sem norte” desde as últimas eleições autárquicas.

Expresso das Ilhas

Top Desktop version