Expresso das Ilhas

Switch to desktop Register Login

Hoje é dia de Expresso das Ilhas. Destaques da Edição 818

Nesta edição, o Expresso das Ilhas faz manchete com a Comissão Parlamentar de Inquérito ao Novo Banco. Olavo Correia, ministro das finanças, foi ouvido e revelou que na gestão do Novo Banco “havia irregularidades graves” e que os recursos “dos contribuintes estavam a ser delapidados”. Para o governante, os sinais de que o “banco nasceu torto” eram evidentes desde o início e acusou o anterior governo de nada fazer para evitar o descalabro da instituição que acabou com o anúncio, em Março, da sua resolução financeira.

 

Também neste número, Orçamento Participativo: Porta (entre)aberta à participação cidadã. Pela primeira vez na história da democracia cabo-verdiana o Governo abriu aos cidadãos a oportunidade de participarem na elaboração do projecto de Orçamento do Estado (OE). De 26 de Junho a 26 de Julho qualquer cidadão podia enviar ao Governo de Cabo Verde propostas, projectos e ideias a serem contemplados no OE 2018. Durante a semana passada, o ministro das Finanças esteve numa roda-viva de audiências e encontros, recebendo organizações da sociedade para lhes ouvir directamente as propostas. Por seu lado, a Câmara Municipal de Santa Catarina de Santiago anunciou recentemente que reserva mil milhões de escudos (1.000.000.000.00 CVE) do seu orçamento para 2018 para financiar projectos submetidos pelos seus munícipes.

A entrevista ao professor universitário João Bilhim, é outro dos destaques: “Regionalização é um tema altamente contagioso”. Professor do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, da Universidade de Lisboa, especialista em administração do território, o português João Bilhim esteve em Cabo Verde, a convite da Universidade do Mindelo. À margem da conferência que proferiu, falou à Rádio Morabeza sobre a nova ideia de Estado e os desafios do processo de descentralização e regionalização num pequeno país insular.

A estratégia das Canárias para ser um hub entre o Brasil e África. Logística para empresas exportadoras, base de operações e expatriados e centro de reparações, estes são os três focos da estratégia canarina para transformar o arquipélago numa plataforma de passagem, e paragem, das empresas brasileiras com interesse em investir em África. As ilhas espanholas oferecem tecnologia, ligações marítimas e mão-de-obra especializada. Os principais concorrentes, segundo um estudo de mercado produzido pela Proexca (Sociedade Canária de Fomento Económico) são o Gana, a Guiné Equatorial e Cabo Verde.

Tráfico humano: Cabo Verde adere à Campanha Coração Azul. É um crime contra a humanidade que parece estranho a Cabo Verde, mas que constitui um flagelo global de que nenhum país está a salvo. E fenómenos globais exigem o envolvimento de todos. Assim, Cabo Verde está também, com “engajamento”, na luta ao hediondo crime do tráfico humano. E foi precisamente para relembrar o fenómeno e marcar essa posição que o Ministério da Justiça realizou esta segunda-feira (31), no âmbito do dia Mundial contra o Tráfico de Pessoas (celebrado a 30 de Julho), um acto simbólico, que teve igualmente o intuito de divulgar a adesão oficial do país à Campanha Coração Azul da ONUDC. Esta é uma campanha internacional que visa consciencializar para este tipo de crimes, lutando nas palavras da ministra da Justiça, Janine Lélis, “para que os sonhos não se tornem nunca pesadelos”.

Na cultura: A creologia após Epístola, segundo Carmen Souza. De regresso a Londres, onde vive há alguns anos, depois de uma actuação na sua Lisboa natal, Carmen Souza aceitou conversar connosco (via skype) em vésperas de pegar novamente nas malas desta vez rumo a Cabo Verde, a terra das suas raízes crioulas. Identidade, "Creology" (o novo disco), referências e (pseudo) sucessões… Em três tempos, foi isto e um pouquinho mais, do muito que se poderia falar sobre a voz luso-cabo-verdiana mais jazzy a ecoar pelo mundo.

No interior, a opinião de Ondina Ferreira, O descalabro do ensino em Cabo Verde; de Manuel Brito-Semedo, Imprensa Cultural e Social em Cabo Verde (parte II); e de Joaquim Arena, Retrato de uma Senhora.

 

 

quarta, 02 agosto 2017 01:06

2 Comentários

  • Anete Vital 02-08-2017 Reportar

    O artigo da Prof. Ondina Ferreira é pertinente pelas verdades que nele encontramos.

  • Alberto Tavares 02-08-2017 Reportar

    O Prof. João Bilhim mostrou nada conhecer do contexto nacional nem da politica praticada durante 42 anos em Cabo Verde.
    Pode ter razão mas noutros aquadrantes

Deixe um comentário

Os campos com (*) são obrigatórios.

Expresso das Ilhas

Top Desktop version