Expresso das Ilhas

Switch to desktop Register Login

Cabo-verdiano Luís Barros é o novo administrador do Banco de Investimento e Desenvolvimento da CEDEAO

Luís Barros Luís Barros

O empresário cabo-verdiano Luís Barros foi eleito, ontem, administrador do Banco de Investimento e Desenvolvimento (BIDC), da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), na 15ª Assembleia Geral desta instituição que decorre em Abuja, na Nigéria.

 

De acordo com uma nota publicada na página do Governo, o nome do empresário foi proposto pelo executivo cabo-verdiano, representado nesta assembleia pelo ministro das Finanças, Olavo Correia.

“O Governo de Cabo Verde congratula-se com esta eleição, que representa mais um importante passo na estratégia de promoção dos quadros cabo-verdianos em instituições de peso tanto da nossa sub-região, como no mundo”, lê-se no documento.

“A eleição de Luís Barros representa igualmente mais uma importante etapa ganha na vasta ofensiva deste Executivo na mobilização de recursos para o financiamento ao sector privado, bem como na procura de meios para os projectos públicos de Cabo Verde”, acrescenta.

Luís Barros, que reside nos Estados Unidos da América, é doutorando na Universidade de Pensilvânia (EUA), desde 2016, Mestre em Gestão de Empresas pela Escola de Gestão da MIT Sloan School, em 1999,  e Licenciado em Gestão de Empresas pela Universidade de Gestão de Universidade de Massachusetts’ Isenberg School, em 1989.

Acumula “uma vasta experiência” em empreendedorismo e investimentos, com mais de 27 anos no ramo, tendo constituído empresas que foram posteriormente adquiridas por “gigantes mundiais” como a Microsoft.

A sua carteira de clientes inclui iniciativas de desenvolvimento científico, tecnológico e económico com países, universidades, indústria e governos.

O BIDC tem por objectivo geral contribuir para o desenvolvimento económico da África Ocidental tanto nos sectores público como privado, através do financiamento dos projectos e programas da CEDEAO, nomeadamente em áreas como os transportes, a energia, as telecomunicações, a indústria, a redução da pobreza, o ambiente e os recursos naturais.

Luís Barros vai cumprir um mandato de dois anos, renovável até quatro. 

quarta, 23 agosto 2017 08:19

Deixe um comentário

Os campos com (*) são obrigatórios.

Expresso das Ilhas

Top Desktop version