Expresso das Ilhas

Switch to desktop Register Login

China e CPLP discutem negócios na Cidade da Praia

Mais de 150 empresários chineses e macaenses chegaram esta quinta-feira a Cabo Verde para participar no encontro com homólogos da CPLP que começa hoje. Sob o lema “Promoção de oportunidades para uma cooperação económica entre a China e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa” o evento terá lugar na cidade da Praia de 16 a 18 do mês em curso.

 

O Pavilhão da FIC, em Achada Grande, foi o local escolhido pela Cabo Verde Trade Invest que com a parceria do Conselho para Promoção do Comércio Internacional da China (CCPIT) e do Instituto de Promoção do Comércio e de Investimento de Macau – (IPIM) organiza a iniciativa.

O evento, que irá contar com uma série de painéis de discussão e workshops, abre com uma apresentação do Fórum Macau com as principais linhas conceituais sobre “Capacidade Produtiva”. Neste quesito a China pretende aumentar a cooperação industrial e comercial com os países de língua portuguesa.

Realizado anualmente, este encontro sino-lusófono tem o propósito de estimular as relações comerciais entre empresas dos países envolvidos, “através da identificação de novas formas de cooperação, oportunidades de investimentos e promover parcerias que contribuam para o desenvolvimento socioeconómico dos respectivos países”.

Industrialização, economia azul, indústria pesqueira e o papel de Cabo Verde enquanto plataforma para facilitação de negócios entre a China e os países da CPLP serão temas de outros painéis de debate. Outro tópico que deverá ser debatido no encontro deste fim-de-semana entre profissionais do ramo e empresas prende-se com a temática do investimento e clima de negócios na CPLP e o financiamento de projectos.

 

Indústria, Pescas e Energias Renováveis

Esta edição deste evento anual promete um novo formato que, para além de maior foco em projectos, bolsas de contacto e workshops sobre oportunidades de negócios, prioriza “visitas ao terreno, nomeadamente a outras ilhas, com particular atenção às áreas prioritárias estipuladas no programa do governo”, avança a Cabo Verde Trade Invest.

Santo Antão, São Vicente, Sal e Boa Vista são as ilhas que irão receber as delegações estrangeiras que participam no encontro em visita de estudos.

Esta agência estatal manifesta ainda a expectativa de que a realização deste encontro em Cabo Verde “venha a constituir uma grande oportunidade para o reforço e estreitamento das relações entre organismos de promoção de comércio e investimento, bem como, num contexto de retoma da economia mundial e da reprojecção das oportunidades e sectores de investimentos de Cabo Verde”.

“Queremos apostar nas parcerias entre as empresas locais e estrangeiras nos sectores da indústria, pescas e energias renováveis sendo que são áreas essenciais para o desenvolvimento do país”, apontou Ana Barber, presidente da CV Trade Invest à Inforpress.

A PCA disse ainda que o país tem que saber fazer uso das suas potencialidades de modo a coloca-las ao serviço da promoção do país e ainda mostrar-se mais “agressivo” na captura de novos investidores para essas áreas estratégicas.

O governo da China, a partir da iniciativa conjunta do Banco de Desenvolvimento da China e do Fundo de Desenvolvimento Industrial e de Comercialização de Macau (FDIC), criou em 2013 um fundo especial para os países da CPLP. O Fundo da Cooperação para o Desenvolvimento, que teve um capital inicial de 125 milhões de dólares, é gerido pelo Fundo de Desenvolvimento China-África, na dependência do Banco de Desenvolvimento da China.

Conforme anunciado na altura, a aplicação do fundo seria sobretudo no apoio à entrada das empresas do interior da China e de Macau no mercado dos países de língua portuguesa e na atracção das empresas desses países para se desenvolverem na China.

Desse fundo deverão sair os investimentos ou incentivos para a criação da zona especial de economia marítima em São Vicente, construção do novo campus universitário da Universidade de Cabo Verde na Cidade da Praia, construção de um resort-casino no Ilhéu de Santa Maria (empreendimento do macaense David Show), os próximos frutos que se esperam da relação de cooperação entre Cabo Verde e a China.

A nível da CPLP vale lembrar que as importações da China oriundas de Angola, Guiné-Bissau, Moçambique e Timor-Leste passaram a ter impostos mais baixos desde Abril passado.

Instituições de Promoção do Comércio e Investimentos, Câmaras de Comércio, Câmaras Municipais, Associações Empresariais, Empresas, e empresários da China e dos países de língua portuguesa, nomeadamente, Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e Timor-Leste encontram-se entre os participantes esperados na cimeira económica sino-lusófona e que deverão rondar quatro centenas de pessoas.

Aos organizadores do evento juntam-se, como parceiros, os Ministérios da Economia e Emprego e dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, Câmaras do Comércio e Serviços de Sotavento e Barlavento, a Amicachi (Associação de Amizade Cabo Verde China) e a Feira Internacional de Cabo Verde.

Agências de investimento e câmaras de comércio dos outros países da CPLP também colaboram na preparação do encontro que terá sequência na Cidade do Porto (Portugal) no Fórum Internacional de Negócios entre a China e os Países de Língua Oficial Portuguesa.  

 

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 811 de 14 de Junho de 2017.


 
sexta, 16 junho 2017 10:01

Deixe um comentário

Os campos com (*) são obrigatórios.

Expresso das Ilhas

Top Desktop version