Expresso das Ilhas

Switch to desktop Register Login

PIB 2013 cresce 0,5 por cento, diz o FMI

World Economic Outlook aponta para um crescimento do PIB nacional muito abaixo da média da África Sub-sahariana, sendo mesmo um dos países com pior registo no continente.

 

O Produto Interno Bruto de Cabo Verde deve crescer 0,5 por cento este ano. Este dado consta do último Outlook sobre a Economia Mundial tornado agora público pelo Fundo Monetário Internacional.

O arquipélago fica assim muito abaixo da média da África sub-sahariana, 4,9 por cento, e é mesmo um dos países do continente com o pior registo. Tirando a República Centro Africana (-36 por cento), a Guiné Equatorial (-4,9 por cento) e a Guiné-Bissau (0,3 por cento), Cabo Verde é o quarto país com o crescimento mais baixo.

Dentro dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa, o maior crescimento do PIB assinala-se em Moçambique (7,1 por cento), seguido de Angola (4,1 por cento) e de São Tomé e Príncipe (4 por cento).

Os outros países insulares registam também um aumento do PIB superior ao de Cabo Verde com as Maurícias a chegarem aos 3,1 por cento e as Seychelles aos 3,6 por cento.

Os países africanos que mais aumentam o PIB são o Sudão do Sul (24,4 por cento), a Serra Leoa (16,3 por cento) e, a uma grande distância, a Etiópia (9,7 por cento).

O documento do FMI avança ainda as projecções do PIB para 2014, 2015 e 2019, e as notícias continuam a não ser boas para Cabo Verde porque o crescimento previsto não servirá, segundo os peritos, para criar mais emprego. Segundo o Outlook, em 2014 Cabo Verde terá um aumento do PIB de 3 por cento, em 2015 será de 3,5 por cento e em 2019 chegará aos 4 por cento.

segunda, 14 abril 2014 11:41

1 comentário

  • Silvério Marques 14-04-2014 Reportar

    Com estes números do crescimento do PIB estou a compreender muitas coisas, como a incompetência deste Governo. A dívida aumenta e o crescimento diminui.
    Mas a primeira e única pergunta é COMO VAMOS PAGAR A DÍVIDA E COMO É QUE IREMOS VIVER SE ISTO CONTINUA ASSIM.

Deixe um comentário

Os campos com (*) são obrigatórios.

Expresso das Ilhas

Top Desktop version