Expresso das Ilhas

Switch to desktop Register Login

Mário Semedo refuta acusações de gestão danosa e entra na corrida à FCF

O antigo presidente da Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF), Mário Semedo, refuta as acusações de Mário Donnay que o acusa de estar a ser investigado por “gestão danosa”. Semedo quer voltar a ser presidente do organismo máximo do futebol cabo-verdiano. 

 

Em conferência de imprensa, quarta-feira, na Cidade da Praia, Mário Semedo disse que estas declarações só podem representar um acto de puro desespero e de enormes dificuldades da candidatura de Donnay à liderança da FCF. 

Semedo fez questão de apresentar aos jornalistas o certificado de cadastro policial emitido pela Direcção Nacional da Polícia Nacional, datado de 6 do corrente mês, provando que não está a ser alvo de qualquer investigação por parte da polícia cientifica cabo-verdiana, tendo considerado que “Donnay” é um irresponsável que desprestigia a FCF e ataca o “bom nome de pessoas”, na tentativa de denegrir a sua imagem enquanto candidato às eleições na FCF.

“Há pessoas que enquanto dirigentes desportivos nunca apresentaram contas e não têm moral para criticar quem quer que seja. Portanto, não reúnem condições mínimas para estar à frente de uma instituição como a FCF”, assegura Mário Semedo, sublinhando ser um dirigente permanentemente disponível a servir Cabo Verde.

Sobre o "caso Tunísia”, Semedo esclarece que após a situação “desagradável”, a equipa federativa pediu uma assembleia-geral extraordinária para analisar a questão e que todas as associações unanimemente deram um voto da confiança à sua pessoa.

Candidatura

O antigo presidente da Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF) Mário Semedo, que deixou o cargo há dois anos, anunciou ontem a candidatura à presidência do organismo, nas eleições antecipadas marcadas para o dia 28 deste mês. Mário Semedo quer voltar ao cargo que ocupou durante 16 anos e mostra-se seguro na vitória da sua equipa para gerir a federação nos próximos quatro anos.

"Tenho um enorme orgulho por ter emprestado este humilde contributo ao meu país a nível do futebol", enalteceu, citado pela Inforpress.

O antigo dirigente apresentou a sua candidatura um dia após o presidente da Comissão de Gestão desse órgão, Mário Avelino, ter anunciado que a Polícia Judiciária (PJ) está a investigar suspeitas de corrupção na federação de futebol, nos mandatos também de Vítor Osório.

 
 
quinta, 12 outubro 2017 10:16

Deixe um comentário

Os campos com (*) são obrigatórios.

Expresso das Ilhas

Top Desktop version