Expresso das Ilhas

Switch to desktop Register Login

Xadrez: A maioria de peões numa das alas

O primeiro campeão do Mundo, Wilhelm Steinitz, lançou, há mais de cem anos, os princípios básicos do xadrez moderno, ao anunciar os fundamentos do jogo de posição. Aquilo a que a história registaria mais tarde como a primeira revolução escaquística não foi recebido de bom grado tendo provocado violentas críticas e injúrias pessoais ao seu profeta – sobretudo entre os saudosos da escola romântica do xadrez, cuja estratégia do jogo resumia-se a sacrifícios, ataque e mate.

Steinitz, em oposição a toda a comunidade hostilmente reunida, expunha e desafiava a qualquer um para demonstrá-la, que contra um jogo sólido seria incorrecto buscar ataques rápidos; ao invés disso, era melhor construir o jogo calmamente, procurando pequenas vantagens, como a de um bispo contra um cavalo, combater peões dobrados ou isolados, casas avançadas, colunas abertas, uma maioria de peões no flanco da dama, e procurar um maior controlo do espaço.

Hoje em dia ninguém contesta a validade desses princípios, tão evidentes e lógicos se tornaram. Segundo os ensinamentos de Steinitz, o jogo de posição baseia-se essencialmente na técnica de avaliação da posição.

Para se avaliar uma posição é necessário decompô-la em seus elementos. Os elementos de longa duração são chamados elementos constantes ou estáticos. Os que só se manifestam por curto tempo são designados provisórios ou dinâmicos. Passemos então a conhecer mais de perto esses elementos, à mão de uma ilustração paradigmática.

 

 

A maioria de peões numa das alas.

Marshall, F. - Capablanca, J.

USA, 1909

 

A forma como Capablanca com as pretas valoriza a maioria dos peões na ala da Dama é bastante instrutiva

A posição está mais ou menos equilibrada. As brancas têm uma maioria na ala do rei, as pretas na ala da dama. Nestes casos, a regra de ouro é: joga na ala onde tiveres vantagem. Neste sentido o plano correcto para as brancas seria avançar os seus peões no centro. 1.De4?! (o correcto era 1.e4 Dc7 2.De3). 1…Dc7! Contra Lg2-h3.2.Tc3? Marshall, um génio do ataque, não tinha a mínima noção do jogo de posição, anunciado e elaborado por Steinitz até os últimos trinques. Com a última jogada o mestre americano pretende à força atacar o rei, mas a posição não o permite. Devia acontecer Td1, mas ele ignora completamente a coluna d aberta. 2...b5 3.a3 c4 4.Bf3 Tfd8. E a coluna aberta já começa a ser atacada. 5.Td1 Txd1+ 6.Bxd1 Td8. A ocupação da linha aberta facilita a materialização da vantagem. 7.Bf3 g6 8.Dc6 De5! As pretas não têm nada contra a troca das damas, mas imediatamente daria algumas chances às brancas. 9.De4 Dxe4. 10.Bxe4 Td1+! 11.Rg2 a5 12.Tc2 b4 13.axb4 axb4 14.Bf3 Tb1 15.Be2 b3! 16.Td2 Tc1 (ameaça Tc1-c2) 17.Bd1. Qual o lance decisivo? c3! 18.bxc3 b2 19.Txb2 Txd1 As pretas têm uma posição tecnicamente fácil de ganhar.

 

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 811 de 14 de Junho de 2017.

domingo, 18 junho 2017 06:00

Deixe um comentário

Os campos com (*) são obrigatórios.

Expresso das Ilhas

Top Desktop version