Expresso das Ilhas

Switch to desktop Register Login

Auditório Padre Pio Gottin aberto ao público

Situado em Cutelo de Açúcar, São Filipe, na ilha do Fogo, o Auditório Padre Pio Gottin abriu as portas sexta-feira, 29 de Setembro. Apetrechado com salas para exposições, reuniões e uma de plenária com a capacidade para 140 lugares, o empreendimento é um contributo para o reforço da cultura, associado ao desenvolvimento humano, social e espiritual.

 

Da autoria do arquitecto italiano Gianni Arnaudo, a obra evoca nos seus traços a história de Cabo Verde, mais precisamente do tráfico de escravos. É também um reconhecimento aos trabalhos realizados pelos capuchinhos no país, bem como da comunidade emigrada nos Estados Unidos de América e em São Tomé e Príncipe.

Do Auditório Padre Pio Gottin, Ottavio Fasano espera que venha a ser num centro de paz e de diálogo, “aberto ao futuro e às esperanças de um Cabo Verde ciente das suas raízes cristãs e responsável pelo desenvolvimento humano, social e espiritual”.

 

Servir não só com palavras mas com obras

Segundo o Padre Ottavio, quando a fé não é egoísta nem cómoda, comporta o desejo de mudar o mundo, transmitir valores e deixar algo melhor. “Servir os pobres conhecidos no longínquo 1965 não só com as palavras mas com factos e obras concretas”, sublinhou.

Segundo o Padre Ottavio Fasano, a razão das obras como o Hospital, a Adega ou o Auditório pode passar despercebida. Entretanto, apropriando-se das palavras de um camponês da Ilha do Vulcão, Fasano explicou que está a trabalhar para o futuro de Cabo Verde e dos seus filhos.

Socorreu também da Carta Evangelii Gaudium n. 188 do Papa Francisco para ser ainda mais elucidativo. “A Igreja guiada pelo Evangelho da misericórdia e pelo amor ao ser humano, escuta o grito pela justiça e deseja responder com todas as suas forças”.

A ideia de construir o Auditó-rio nasceu de uma conversa com o arquitecto italiano Gianni Arnaudo, de visita à ilha do Fogo, que gratuitamente concebeu o projecto.

Conforme Padre Fasano, o encontro com o arquitecto italiano foi crucial para que compreendesse que tinha chegado o momento de dar uma “concreta atenção à cultura de Cabo Verde”, desde a arte, música, poesia, literatura, mas também a sua história.

 

Promover a cultura e fortalecer as raízes cristãs

Segundo descreveu Ubaldo Lopes, vice-presidente da ASDE, o auditório tem a forma de um navio, fazendo alusão à história da escravatura e do início do povoamento de Cabo Verde. “Traz para a actualidade a memória da escravatura, como também simboliza uma história nova que nos possibilitará navegar para um mundo novo, de diálogo, partilha e conhecimento”, realçou Ubaldo Lopes.

O Auditório Padre Pio Gottin assume como missão o fortalecimento das raízes cristãs do povo cabo-verdiano, valorização da expressão artística, bem como a promoção do diálogo entre Cabo Verde, Europa e África.

O empreendimento é composto por uma sala de plenária para 140 pessoas, uma de exposição, uma para pequenas reuniões e um hall de entrada. Alberga ainda um restaurante no segundo piso.

Presente no evento de apresentação, o ministro da Cultura e Indústrias Criativas, Abraão Vicente, não só manifestou a disponibilidade do governo em colaborar com a ASDE como também ressaltou a qualidade da infraestrutura.

“Vai servir muito bem a comunidade de São Filipe e da ilha do Fogo. É prática do Padre Ottavio fazer obras e depois devolvê-las ao município e à ilha onde estão inseridas”, sublinhou Abraão Vicente.

 

Conferência e homenagem marcam abertura do Auditório Padre Pio Gottin

O Auditório recebeu o nome “Padre Pio Gottin”, em homenagem e à memória deste padre capuchinho que chegou a Cabo Verde como missionário há sensivelmente 70 anos (1949). Fez o trabalho pastoral nas ilhas da Brava e do Fogo e na comunidade emigrada nos Estados Unidos.

Para além do impacto no domínio histórico e social, o Auditório Padre Pio Gottin vai disponibilizar aos turistas e visitantes uma exposição vulcanológica de Fogo e geologia de Cabo Verde, elaborada por Gianni Mortara e Elena Ferrero, docentes da Universidade de Turim.

O acto de inauguração foi preenchido por uma conferência subdivida em vários painéis, nomeadamente a “Leitura evangélica franciscana da carta do Papa Francisco”, “Salvaguarda do ambiente de Fogo, Brava e ilhéus”, “As potencialidades e desafios da agricultura, ambiente e turismo na região Fogo e Brava e nos ilhéus”.

No dia 30 de Setembro, a ASDE rendeu uma homenagem ao primeiro presidente democraticamente eleito em Cabo Verde atribuindo o seu nome à sala de conferências.

Mascarenhas Monteiro, que era amigo pessoal do Padre Ottavio Fassano, foi reconhecido devido ao seu contributo na implementação dos projetos, uma vez que foi o primeiro presidente da ASDE.

Hospital São Francisco de Assis, Vinha de Maria Chaves, Adega de Monte Barro, complexo turístico Casas do Sol, Casa Manuela Iger em Santa Cruz e, mais recentemente, o Auditório Padre Pio Gottin, obras que nasceram fruto do esforço do Padre Ottavio Fasano, da ASDE e da AMSES.  

 

 

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 827 de 04 de Outubro de 2017. 

sábado, 07 outubro 2017 15:18

Deixe um comentário

Os campos com (*) são obrigatórios.

Expresso das Ilhas

Top Desktop version