Expresso das Ilhas

Switch to desktop Register Login

Já é habitual, no quadro das festividades do município, a realização de várias actividades entre as quais o Festival da Gamboa, que já vai na sua 25ª edição e que reúne no mesmo palco artistas nacionais e internacionais. 

 

 

C4 Pedro (Angola) e Anthony B (Jamaica) são dois artistas internacionais que vão participar este ano, num dos maiores festivais de música do país.

Hoje, o festival arranca às 22:00, com actuação de Bob Mascarenhas e Princezito, a música continua com Jennifer Dias, Rapaz 100 Juiz, Loony Johnson e Anthony B.

No sábado, Fidjus Codé di Dona fazem a abertura do festival que depois será abrilhantado pelo grupo Bulimundo, Djodje, David Brazão, Willy Semedo, Zé Espanhol e C4 Pedro fará o enceramento do certame.    

E no domingo, 21, o dia será dedicado aos mais jovens, com Gamboinha e Gamboa Jovem. O Gamboinha terá participação de palhaços magia, jogos tradicionais, Insufláveis, grupos de dança, flautas e guitarra, magia, grupos musicais de artistas mirins.

Gamboa Jovem será animado por vários DJs no palco, jovens artistas como Hélio Batalha, Hilário Silva, Big Z e Kotchi Pó. 

Segundo a vereadora da Cultura, Debora Sanches já está tudo aposto para o arranca do festival, que decorre este fim-de-semana, na cidade da Praia em homenagem à “Rainha do Finason”, Mária Inácia Gomes Correia, mas conhecida por Nha Nácia Gomi.  

Durante os dias, 19 e 20, o evento acontece das 22:00 até às 4:00 da madrugada.

Este ano, o festival terá transmissão em directo tanto da RCV com da TCV, esta última não transmitia o certame há já alguns anos.

Em relação à segurança, Débora Sanches disse que o plano de segurança já está tudo montado. “Teremos Policia Nacional, Guarda Municipal, Forças Armadas e empresa de segurança privada”.

A Câmara Municipal da Praia vai nesta edição homenagear a “Rainha do Finason”, que ficou também conhecida como uma contadora de estórias, sendo que muito da sua música era improvisada no momento. 

Nasceu no interior de Santiago e foi uma mulher do Batuque, morreu aos 86 anos de idade. Nha Nácia Gomi, como era mais conhecida, foi uma das vozes da resistência cultural cabo-verdiana.  

Começou a cantar aos doze anos de idade, animando os casamentos e os baptizados por toda a ilha de Santiago. Participou em vários projectos dos quais resultaram estudos, teses, reportagens e discos que irão eternizar as memórias desta humilde senhora que nunca escreveu.

A cantora gravou discos e participou em outros trabalhos discográficos como convidada. Maria Inácia Gomes Correia tornou-se assim numa figura incontornável no processo criativo da ilha de Santiago. O seu mérito foi reconhecido tanto dentro como fora do país.  

 

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 807 de 17 de Maio de 2017.

 

 

 

sexta, 19 maio 2017 12:57

Deixe um comentário

Os campos com (*) são obrigatórios.

Expresso das Ilhas

Top Desktop version